Vídeo mostra presidiários se unindo para orar por detento, pouco antes dele morrer


Detentos formam círculo de oração, no Novo México. (Imagem: KOB)


Após verem que um dos detentos estava passando muito mal, outros presidiários formaram um círculo para ler a Bíblia e orar pelo colega.

Uma família apresentou uma ação judicial contra a penitenciária do condado de Cibola, em Grants, no Novo México, depois que um detento morreu, aparentemente por culpa da negligência dos guardas que estavam de plantão na hora da ocorrência. Outros prisioneiros tentaram desesperadamente ajudar o homem enfermo em certo momento, formando um círculo de oração e lendo a versículos da Bíblia - como é possível no tempo de 1:00 minuto do vídeo abaixo - mas o estado de saúde do homem rapidamente se deteriorou.

Em 7 de julho, Douglas Edminsten, de 50 anos, que estava na prisão, enquanto aguardava julgamento por uma acusação de contravenção, começou a vomitar e defecar sangue, além de se queixar de muita dor extrema. Os guardas de plantão não levaram o homem ao hospital, mas sim à enfermaria da penitenciária por duas vezes, para que ele recebesse antendimento rápido.

"Isso me deixou doente", disse o advogado Glenn Valdez, sobre o caso. "É horrível observar alguém morrer bem na sua frente".

Nas imagens capturadas por câmeras de vigilância, Edminsten parece se contorcer e agonizar no chão, enquanto os outros presos preocupados tentam ajudar. Depois que Edminsten cai da cama, os presos podem ser vistos movendo seu colchão para o chão em um esforço para deixá-lo mais confortável. Com o passar do tempo, eles começaram a ler a Bíblia em voz alta, ao formar um círculo de oração.

"Conhecemos os presos e todos os outros estavam tentando ajudá-lo", disse Valdez. "Eles não tinham como ligar para uma ambulância. Então, sem os guardas para fazerem isso, ele acabou morrendo".

Edminsten morreu cerca de sete horas depois que começou a ter as crises, na manhã de 8 de julho, e uma autópsia revelou que ele sofreu uma ruptura em um vaso sanguíneo de seu estômago. Acredita-se que, se ele tivesse recebido cuidados adequados quando se queixou pela primeira vez dos sintomas, por volta das 22h da noite anterior, teria tido 80% de chances de sobrevivência.

Por causa do litígio pendente, autoridades do país não comentaram o trágico incidente, mas o advogado de Edminsten acredita que a decisão de não ajudar o homem foi simplesmente para "evitar gastos".

"Eu acho que foi uma decisão meramente financeira", disse ele, "Eles não queriam gastar para levá-lo a um hospital".

Confira o vídeo abaixo (cenas fortes):


Guiame

0 comentários:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...