Ilhas do Pacífico Sul já comemoram a chegada de 2015

Celebração de ano novo ocorreu às 8h de Brasília
Os habitantes das remotas ilhas de Samoa, Kiribati e Tokelau (Nova Zelândia), no Pacífico Sul, foram os primeiros a se despedirem de 2014 e darem as boas-vindas a 2015 no planeta.

As comemorações em bares e hotéis se alternaram com as tradições locais no arquipélago de Kiribati, na mesma hora (8h de Brasília) que em Samoa e Tokelau, a ilha mais oriental da Nova Zelândia.

O Estado Independente de Samoa compartilha as Ilhas Samoas com a Samoa Americana, um território não incorporado dos Estados Unidos situado no fuso horário ocidental e que, por isso, comemora a noite de 31 de dezembro apenas no dia seguinte.

Desse modo, o arquipélago é o lugar ideal para celebrar o Ano Novo duas vezes, basta atravessar de uma ilha a outra.

O ano de 2015 começa às 9h (de Brasília) em países como Ilhas Salomão, Nova Zelândia, na pequena nação de Niue e Tonga.

A capital neozelandesa, Wellington, celebra o último dia do ano com fogos de artifício e shows gratuitos no principal parque, enquanto Auckland, a segunda cidade mais importante do país, dará as boas-vindas a 2015 com as badaladas do relógio gigante da Sky Tower e uma festa na praia.

Depois que o extremo oriente da Rússia comemorar a chegada de 2015, passará à Austrália, que em Sydney reunirá cerca de 1,5 milhão de pessoas na baía da cidade para assistir a queima de fogos de artifício sobre a emblemática Sydney Opera House.

CpadNews

Conselhos para 2015

Não perca Jesus de vista. Não tente fazer trilhas novas, siga nos passos dEle
#1
Não assuma compromissos do tipo “vou iniciar uma dieta”, “vou começar alguma atividade física”, “vou terminar o curso de inglês”. Esse tipo de coisa serve apenas para acumular culpa e frustração sobre os seus ombros.

#2
Não acredite nesse pessoal que diz que “sem meta você não vai a lugar nenhum”. Pergunte a eles por que, afinal de contas, você tem que ir a algum lugar. Trate esses “lugares futuros imaginários” apenas como referência para a maneira como você vive hoje – faça valer a caminhada: se você chegar lá, chegou, se não chegar, não terá do que se arrepender. A felicidade não é um lugar aonde se chega, mas um jeito como se vai.

#3
Não faça nada que vá levar você para longe das suas amizades verdadeiras. Amizades levam um tempão para se consolidar e um tempinho para esfriar, pois assim como a proximidade gera intimidade, a distância gera esfriamento e fragiliza os vínculos.

#4
Não perca tempo discutindo religião, política e futebol. As paixões moram numa nuvem que os argumentos não alcançam.

#5
Não fique arrumando desculpas nem explicações para as suas transgressões. Quando cometer um pecado, assuma, e simplesmente diga “minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa” e “fiz sim, me perdoe”. Comece falando com Deus e não pare de falar até que tenha encontrado a última pessoa afetada pelo que você fez.

#6
Não faça nada que cause danos à sua consciência. Ouça todo mundo que você confia, tome as suas decisões, e assuma as responsabilidades. Não se importe em contrariar pessoas que você ama, pois as que também amam você detestariam que você fosse falso com elas ou se anulasse por causa delas.

#7
Não guarde dinheiro sem saber exatamente para que o está guardando. Dinheiro parado apodrece e faz a gente dormir mal. Transforme suas riquezas em benefícios para o maior número de pessoas. É melhor perder o dinheiro que ocupa seu coração, do que o coração que se ocupa do dinheiro.

#8
Não deixe de se olhar no espelho antes de dormir. Caso não goste do que vê, e isso se repita muitas vezes, não hesite em perder a noite de sono para planejar o que vai fazer na manhã seguinte. Ao se olhar no espelho ao amanhecer, lembre que com o sol chega também a misericórdia de Deus: a oportunidade de começar tudo de novo.

#9
Não leve mágoas, ressentimentos e amarguras para o ano que vem. Leve pessoas. Sendo necessário, perdoe ou peça perdão. Geralmente as duas coisas serão necessárias, pois ninguém está sempre e totalmente certo. Respeite as pessoas que não quiserem fazer a mesma viagem com você.

#10
Não deixe de se perguntar se existe um jeito diferente de viver. Não acredite facilmente que o jeito diferente de viver é necessariamente melhor do que o jeito como você está vivendo. Concentre mais energia em aprender a desfrutar o que tem do que em desejar o que não tem.

#11
Não deixe o trabalho e a religião atrapalharem sua vida. Cante sozinho. Leia poesias em voz alta. Participe de rodas de piada. Não tenha pressa de deixar a mesa após as refeições. Pegue crianças no colo. Ande sem relógio. Fuja dos beatos.

#12
Não enterre seus talentos. Nem que seu único tempo para usá-los seja da meia noite às seis. Ninguém deve passar a vida fazendo o que não gosta, se o preço é deixar de fazer o que sabe. Útil não é quem faz o que os outros acham importante que seja feito, mas quem cumpre sua vocação.

#13
Não crie caso com sua mulher. Nem com seu pai nem com sua mãe. Nem com seu irmão nem com sua irmã. Caso eles criem com você, faça amor, não faça a guerra. O resto se resolve.

#14
Não jogue fora a utopia. Ninguém consegue viver sem acreditar que outro mundo é possível. Faça o possível e o impossível para que esse outro mundo possível se torne realidade.

#15
Não deixe a monotonia tomar conta do seu pedaço. Ninguém consegue viver sem adrenalina. Preste bastante atenção naquilo que faz você levantar da cama na segunda-feira: se for bom apenas para você, jogue fora ou livre-se disso agora mesmo. Caso não queira levantar da cama na segunda-feira, grite por socorro.

#16
Jamais se esqueça que a pessoa mais importante do mundo é aquela que está na sua frente. Não a que está no whats app, nem no facebook, nem no instagran.

#17
Não deixe de dar bom dia para Deus. Nem boa noite. Mesmo quando o dia não tiver sido bom. Com o tempo você vai descobrir que quem anda com Deus não tem dias ruins, apenas dias difíceis.

#18
Não negligencie o quarto secreto onde você se encontra com seu eu verdadeiro e com Deus – ou vice-versa. Aquele quarto é o centro do mundo – o mundo todo cabe lá dentro, pois na presença de Deus tudo está e tudo é.

#19
Não perca Jesus de vista. Não tente fazer trilhas novas, siga nos passos dEle. O caminho nem sempre será tão confortável e a vista tão agradável, mas os companheiros de viagem são incomparáveis.

#20
Não caia na minha conversa. Aliás, não caia na conversa de ninguém. Faça sua própria lista. Escolha bem seus mestres e suas referências. Examine tudo. Ouça seu coração – geralmente é ali que Deus fala. Misture tudo e leve ao forno.

#21
Não fique esperando que sua lista saia do papel. Coloque o pé na estrada. Caso não saiba por onde começar, não tem problema. O sábio disse ao caminhante que “não há caminho, faz-se caminho ao andar”.

- Ed René Kivitz
Publicado originalmente em 2005, e levemente adaptado para hoje

Ame mais a Igreja Perseguida em 2015

Em 2015 haverá muitas maneiras de servirmos ainda mais. Continue servindo e amando os cristãos perseguidos
É comum que no último dia do ano façamos uma reflexão sobre tudo que passamos e rabisquemos alguns planos para os dias que virão. Com os cristãos perseguidos não é diferente, no entanto, eles precisam de nós para realizar alguns de seus sonhos

“Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; pelo contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor. Toda a lei se resume num só mandamento: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’.” Gálatas 5.13-14

Um colaborador da Portas Abertas – Paul Estabrooks – faz a citação dos versículos acima para em seguida nos trazer a seguinte reflexão:

“J. Dudley Woodbury conta uma história comovente que ocorreu no campo de refugiados em Peshawar, no Paquistão. A luta entre muçulmanos no Afeganistão pós-soviético e ascensão do talibã resultou em milhares de refugiados que ocupam os campos perto da fronteira. A maioria das crianças corre descalça pelos campos, tanto no frio crucial como no calor intenso.”

“Uma organização cristã entregou centenas de sandálias para as crianças, mas decidiu não apenas distribuí-las, mas cuidar dos pés de cada uma delas.

Cuidadosamente, colaboradores da Portas Abertas que trabalhavam como voluntários naquele campo, munidos de bacias de água e toalhas, lavaram os pés dos pequeninos. Com os olhos marejados de lágrimas, cuidaram de suas feridas e oraram por eles. Depois, silenciosamente, entregaram-lhes as sandálias.

Alguns meses depois, quando as crianças puderam retornar à sua casa e frequentar a escola, uma professora lhes fez a seguinte pergunta: “Quem são os melhores muçulmanos?”

Uma menina levantou a mão e respondeu: “os kafirs” (os que não creem no islamismo).
Depois de recuperar-se do susto, a professora questionou a menina: “Por quê?”
A menina respondeu de pronto: “Os muçulmanos mataram meu pai, mas os kafirs lavaram os meus pés e me deram uma sandália para calça-los!”

Paul nos adverte a procurar maneiras de servir ao próximo com humildade genuína, com muito amor, como verdadeiros discípulos de Jesus, assim como fizeram esses colaboradores.

A Portas Abertas Brasil agradece a você que serve conosco à Igreja Perseguida. Em 2015 haverá muitas maneiras de servirmos ainda mais. Continue servindo e amando os cristãos perseguidos. DIP 2015 – Servindo cristãos no mundo muçulmano.

Fonte Portas Abertas

O Ano-Novo pode vir a ser um novo ano

Não sejamos meros espectadores do virar do calendário do Ano-Novo, mas, em Cristo, construtores do novo ano
Toda a nossa vida se move no tempo. Há um passado com suas gratas memórias, que nos fazem bem à lembrança, cuja acumulação de experiências constrói o nosso ser e nos edifica; e memórias ingratas, que é melhor esquecer, especialmente as memórias das nossas falhas e das falhas dos outros em relação a nós. 

Quanto ao passado — aos "Anos Velhos" —, vivemos entre as memórias da graça e a memória das desgraças.

Nosso tempo de hoje é o resultado desse tempo de ontem, mas é também uma breve passagem em direção ao tempo do amanhã, com seus sonhos e seus temores, seus alvos e suas dúvidas, suas aspirações e suas inseguranças. 

Se não podemos fazer mais nada em relação ao passado, apesar do seu caráter de imponderável e da soberania de Deus, podemos fazer algo pelo futuro: pensar, planejar, decidir, comprometer.

Na mera troca de calendário, se vai o “Ano Velho” e chega o Ano-Novo, em seu ciclo periódico, até a nossa morte.

Porém, o Ano-Novo pode vir a ser um novo ano, um ano qualitativamente diferente, abençoado e abençoador, em nossas respostas à voz de Deus em nossa vida e nos relacionamentos e empreendimentos de que participarmos, como novos objetivos, novos valores, novas prioridades.

Para os servos do Senhor as coisas velhas podem sempre se tornar em coisas novas.
Como cidadãos do reino do céu, nossa presença no reino da terra pode contribuir para um mundo novo, menos violento, menos injusto, menos desonesto, menos mentiroso, menos hipócrita, menos opressor, menos discriminador. Podemos ser mais “sal” e mais “luz” para o mundo em 2011?

Entre a avaliação do “Ano Velho” e a construção do novo ano, passamos pela consciência da finitude e do pecado, pela necessidade do arrependimento, pela busca da santificação.

Mas como construir o novo em uma Igreja tão marcada pelo velho: o divisionismo, o isolacionismo, o caciquismo, o sectarismo, o moralismo, o legalismo, os cismas, as heresias? Um mundo novo e sadio a partir de uma Igreja enferma?

Entre a pessoa nova e o mundo novo, há a Igreja nova, a família nova, a comunidade nova, o trabalho novo, o país novo, os hábitos novos e, tantas vezes, pessoas novas ou relacionamentos renovados (feitos novos outra vez!).

Não sejamos meros espectadores do virar do calendário do Ano-Novo, mas, em Cristo, construtores do novo ano.

Por- Robinson Cavalcanti

Renovando as Forças em Deus...

Texto: Isaias 40:29-31 “Ele fortalece o cansado e dá grande vigor ao que está sem forças. Até o jovens se cansam e ficam exaustos, e os moços tropeçam e caem; mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças. Voam alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam”.

Introdução: Mais um Ano chegou ao fim, e é comum que muitos se sintam cansados depois de tantos desafios e tanta correria. Trabalho, família, obra de Deus, tudo leva um pouco das nossas forças... Claro que se podemos parar para umas semanas de férias isso faz muito bem, mas nem todos têm essa oportunidade e os que têm sabem que mesmo o descanso não é suficiente para renovar as forças interiores e a motivação... A única saída eficaz que temos é renovar-nos em Deus. Ele pode nos tocar de tal maneira que estejamos prontos e renovados para mais um período de conquistas.

1 - Quando nos sentimos cansados, Deus nos fortalece – Vs. 29
São nos momentos de fraqueza e cansaço que podemos ver o poder de Deus agindo em nós. Enquanto estivermos “fortes”, fazendo tudo da nossa maneira, na nossa força, Deus não poderá agir, pois Ele não invade a nossa vida. Mas, no momento em que nos sentirmos sem vigor, se pedirmos a Deus para que Ele nos fortaleça, então o Seu poder multiplicará as nossas forças e nos fará prosseguir – Onde você tem buscado a força para viver? Você tem confiado na força do seu próprio braço e tem visto que não está alcançando o resultado que espera alcançar? A força de que necessitamos está em Deus - (textos de apoio: Neemias 6:9 e II Coríntios 12:10).

2 - Nossa esperança tem que estar somente em Deus – Vs. 30-31
Deus nos ama e se compadece de nós. Ele mesmo está sempre pronto a renovar as nossas forças quando nos sentimos enfraquecidos, abatidos e derrotados. “Esperar no Senhor” é aguardar pela provisão que Ele tem para nós, mas também significa colocar n’Ele toda a nossa esperança - Em quem você tem colocado a sua esperança? Nos políticos, na economia, no seu próprio braço, em uma estátua de gesso? Somente Deus pode nos dar esperança e renovar as nossas forças – (textos de apoio: Salmo 25:5 e Salmo 27:14).

3 - Precisamos colocar nossos olhos no poder de Deus e não nos problemas – Vs. 31
Deus quer nos levar a enfrentarmos todas as situações junto com Ele. Ele quer nos ajudar. Quando Deus nos diz que “subiremos com asas”, está querendo nos ensinar uma nova maneira de olharmos para as situações: de cima, passando sobre nossos desafios! Muitas vezes colocamos nossa atenção demasiadamente nos problemas e nos esquecemos de subir ao nível d’Aquele que pode nos ajudar e nos sustentar que é Jesus - Você tem colocado o seu foco nas situações ou em Deus. Se precisar, mude o seu foco hoje. Não fique com o seu olhar preso nos problemas e nas dificuldades, mas olhe para Jesus, pois Ele lhe estenderá a mão para lhe ajudar – (textos de apoio: Mateus 11:28-30 e Isaias 41:13).

4 - Se a nossa esperança estiver em Deus, passaremos por todas as situações sem nos cansarmos – Vs. 31
Muitas das situações ainda continuarão existindo, mas Jesus quer nos guardar do mal (Leia João 17:15). O que muda quando colocamos a nossa esperança apenas em Deus é que, mesmo com tantas preocupações e atividades, por piores que sejam, conseguiremos enfrentá-las sem nos cansarmos ou nos atemorizarmos, pois uma convicção haverá em nossos corações: de que Deus está sempre conosco, nos guardando, nos livrando do pior e nos conduzindo por caminhos de bênçãos – Você tem se sentido cansado nestes dias? Tem corrido mas não tem chegado a lugar algum? Talvez isso esteja acontecendo porque você está correndo sozinho. Corra ao lado de Jesus. Ele te sustenta e renova as suas forças – (textos de apoio: Isaias 48:17 e Salmo 23:4).

Que Deus vos abençoe...

Pr Claudemir Rodrigues

`Pastor padeiro´ doa pães há 10 anos para ajudar a combater a fome

São doados cerca de 1.200 pães semanalmente
Com o objetivo de ajudar a combater a fome, o pastor e panificador José Antero de Souza distribui semanalmente cerca de 1200 pães através de um programa social. Pastor da Igreja Batista, ele conta que já faz isso há alguns anos e sem receber algo em troca.

Semanalmente, Souza doa cerca de 1.200 pães dos mais diferentes tipos ao Mesa Brasil, programa assistencial do Serviço Social do Comércio (SESC), que funciona como um banco de alimentos contra a fome e o desperdício.

"Esse trabalho eu já faço há dez anos, dois anos antes de ser evangélico. O que me deixa gratificado é saber que o projeto Mesa Brasil trabalha com pessoas carentes e mais necessitadas e que a gente contribui para isso. 

Não é uma troca com Deus. Ele já tem me dado tanta coisa boa desde que eu nasci. Se você ajuda de coração não fica preocupado em ter retornos, embora Deus não deixe de lhe abençoar sempre, ajudando ou não", afirma o pastor.

"Tudo neste mundo gira em torno da palavra 'amor', que para muitos é um sentimento esquecido. Se nós amássemos mais o próximo, se nos preocupássemos mais com as pessoas, o mundo seria bem melhor. Nem precisa fazer o bem, o importante é não fazer o mal. 

Só isso já mudaria muito. E sempre procurar olhar as pessoas com o espírito de igualdade. Também não fazer o uso desproporcional de suas riquezas e seus valores. Lembro de uma frase do Neymar de Barros: ‘Como podem duas pessoas tão diferentes morrerem pelo mesmo problema: um preocupado por ter tanto e outro, por não ter nada?’. 

Quem tem muito, se preocupa, com medo de perder. Que igualdade é essa que nós pregamos, se ao nosso lado existem pessoas sofrendo por falta de tudo?", completou o pastor, segundo o site A Crítica.

CpadNews

Milagre da VIDA

Para alguns devido a seu pouco tempo dentro do útero ele foi considerado apenas como “um amontoado de células”. Julho de 2013 em Indiana, Estados Unidos, Levy Fretz se preparava para fazer a sessão de fotos em um casamento quando sentiu fortes contrações de uma gestação de 19 semanas. Walter Joshua Fretz veio ao mundo e viveu apenas alguns minutos, mas a mãe pôde segurá-lo e sentir seu coraçãozinho bater.

Para alguns devido a seu pouco tempo dentro do útero ele foi considerado apenas como “um amontoado de células”. Levy e sua família capturaram imagens de Joshua para provar ao mundo que ele era bem mais que um amontoado de células. 

Ele era um menino, com toda a formação de seu corpo físico. Levy ao segurá-lo sentiu a força da vida que carregava. Walter conheceu suas irmãs, Michayla e Emma, ele foi acarinhado por elas. Sentiu o calor de um afago aconchegante e mesmo fazendo parte de sua família por tão pouco tempo permitiu que ele mostrasse ao mundo que uma criança no ventre é um ser humano como qualquer um de nós.

Fonte: Jornal Nação Brasil -

A 'Arca de Noé' que atracou em um telhado e salvou 59 pessoas do tsunami

Quando o tsunami atingiu a região de Banda Aceh, na Indonésia, há dez anos, a família Basyariah ficou presa no andar de cima de uma casa: a água chegava até a altura do pescoço e continuava subindo rápido.

Mas os parentes conseguiram escapar de forma espetacular quando um barco arrastado pelas águas foi parar sobre o telhado da casa.

Em meio às telhas vermelhas das casas recém-construídas no vilarejo de Lampulo, há uma visão extraordinária: um enorme barco de pesca que repousa sobre duas casas.

A embarcação de madeira, com 25 metros de comprimento, tornou-se uma atração popular no roteiro turístico do tsunami. As placas apontam para Kapal di atas rumah, que significa 'o barco sobre a casa'. No local, um texto detalha como a 'arca' improvisada salvou a vida de 59 pessoas.

ma delas é a empresária local Fauziah Basyariah. "Se não tivesse sido por aquele barco, todos nós teríamos nos afogado, porque nenhum de nós sabia nadar", ela conta.

Basyariah ainda cai no choro quando se lembra do dia da tragédia. "Não muito tempo depois do teremoto, as pessoas começaram a gritar que a água do mar estava chegando. Estávamos confusos, mas então vimos a água entrando em casa", diz.

Ninguém entendeu o que estava acontecendo - ninguém havia passado por uma situação como a do tsunami antes. "Pensei que era o Dia do Juízo Final", diz Basyariah.

Seu marido havia levado a moto da família para fazer compras, então ela tomou seus cinco filhos e começou a correr. Eles não podiam correr mais rápido do que a água, que subia rapidamente, então começaram a procurar abrigo em algum lugar alto

O terremoto havia destruído várias edificações na rua, mas os seis conseguiram entrar em uma casa que ainda estava de pé e subiram para o segundo andar. Em pouco tempo, porém, perceberam que não seria alto o suficiente.

"Levou menos de um minuto para a água nos alcançar", conta Basyariah. "A primeira onda estava muito escura - não sabíamos se era petróleo ou água", diz.

Pouco depois uma segunda onda, ainda maior, chegou. A família estava presa. "Estávamos flutuando, com nossas cabeças tocando o teto e a água em volta dos nossos pescoços. Pensei que íamos morrer afogados", diz Basyariah.
Barco salvador

Então, pela janela, eles enxergaram algo esquisito: um grande barco de pesca avançando na direção deles. "As pessoas estavam gritando", conta. "Mas então ele ficou preso em cima de uma casa e parou", lembra.

Seu filho de 14 anos conseguiu fazer um pequeno buraco no teto e pulou para o telhado. Ele puxou o resto da família para fora, um a um, e todos entraram no barco. Outras pessoas se juntaram a eles.

"Quando cheguei no barco, eu só rezava e rezava", conta Basyariah. "Agradecíamos a Deus pelo barco que nos salvou, mas mesmo o barco não era tão estável porque estava cheio de água, então ficamos nos segurando", diz.

Eles observavam, sem ter o que fazer, enquanto várias casas em volta caíam, com pessoas ainda dentro. "Não havia nada que pudéssemos fazer", diz Basyariah, enxugando uma lágrima do rosto.

"Apesar de ter passado dez anos do tsunami, quando falo sobre isso eu sinto como se tivésse sido ontem. Eu me sinto muito triste, e nunca vou esquecer disso", conta.
Desaparecidos

Quando as águas baixaram, Basyariah e seus filhos foram morar em um vilarejo mais longe da costa, chamado Beurawe, mas eles continuavam voltando a Lampulo para procurar por seus familiares desaparecidos.

"Eu não sabia onde meu marido estava. E meus pais também - eles correram, mas eles eram muito velhos, e eu sabia que teria sido difícil para eles escapar", diz. Ela nunca os encontrou.

Viúva, Basyariah se viu então responsável por sustentar cinco filhos sozinha. Enquanto ainda estava em acomodações temporárias, ela aprendeu novos trabalhos - como criar peixes, costurar e fazer bolos. E assim chegou à ideia de vender salgadinhos de atum seco.

Um ano após o tsunami, Basyariah abriu um negócio com um microempréstimo de 500 mil rupias (cerca de R$ 110). Ela hoje retornou a Lampulo, onde sustenta sua família e emprega outras mulheres na vila.

Do lado de fora da sua casa, um pouco para baixo do barco, mulheres embalam um atum seco que foi frito com alho e cebola. O aperitivo é chamado "tsunami de atum seco" e tem uma foto do barco na etiqueta. "Nós fomos salvos nesse barco, queríamos lembrar isso", ela conta.

Há relatos de cerca de 15 barcos de pesca encontrados nos telhados de casas em Lampulo depois do tsunami, mas os outros já foram removidos.

Zulfikar, dono desse barco, concordou em deixá-lo ali como um "memorial", apesar de tê-lo reformado pouco antes do tsunami. Naquele dia, ele tinha planos de sair para pescar.
'Arca de Noé'

Atualmente, o barco é reverenciado como uma "Arca de Noé", mas serve também como uma eterna lembrança do que aconteceu.

"Todo mundo tenta tirar vantagem sobre o fato de o barco ainda estar aqui", diz Basyariah. "Todos têm uma história diferente envolvendo o barco e como eles foram salvos por ele. As pessoas chegam até a inventar histórias."

Fonte da matéria BBC Brasil

Jovens têm vida transformada pelo Evangelho de Cristo e vivem com alegria

Segundo as escrituras inspiradas por Deus ao coração dos homens, o próprio criador reconhece os jovens como “fortes”. Foi João Batista, um dos discípulos de Cristo, quem escreveu isso na carta de 1ª João, em seu capítulo 2, versos 12, 13 e 14. Segundo São João, o próprio Deus, em sua infinita sabedoria, teria escolhido a mocidade para batalhar em meio às tribulações do mundo espiritual, concedendo a eles, a certeza da vitória.

Na análise de alguns especialistas da área, a vida cristã não é uma festa, mas uma verdadeira batalha. Nesse sentido, basta observar que os protestantes – que aqui chamaremos de evangélicos- acabam por se abster de práticas seculares para se restringir a pensamentos diferentes nos quais hits comuns ou espaços frequentados por aqueles que não professam o protestantismo, estão fora de cogitação.

O interessante em tudo isso é que o fato de se abster de práticas seculares não quer dizer que o jovem evangélico não terá alegria. Muito pelo contrário, os evangélicos possuem uma maneira própria de se divertir, seja nas horas vagas ou após o culto, num retiro de carnaval ou confraternizações que acontecem rotineiramente, não importa, o que vale é viver momentos de alegria, sem deixar as normas de Jesus Cristo de lado.

Histórias reais podem confirmar as declarações apresentadas nesta reportagem. Justamente por isso, o ac24horasprocurou jovens evangélicos que nasceram num berço protestante, e jovens que acabaram por se converter ao Evangelho após viverem consequências, sejam elas boas ou ruins. Além disso, a Reportagem também procurou ouvir os lados da psicologia e o lado da religião. Psicólogo e pastor vão apontar logo abaixo conceitos do gênero e explicar por que os jovens acabam deixando o “mundão” de lado e seguindo os passos de Jesus.



Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil ainda é a maior nação católica do mundo, mas, na última década, a Igreja teve uma redução da ordem de 1,7 milhão de fieis, o que representa 

um encolhimento de 12,2%. Os dados são do Censo de 2010. Segundo o levantamento, a tendência de redução dos católicos e de expansão das correntes evangélicas era algo esperado. O mesmo levantamento aponta que 1/3 dos jovens brasileiros são evangélicos.

Foi a primeira vez que um censo detectou queda em números absolutos. Antes disso, as estatísticas só apresentavam leve diminuição em relação aos protestantes. A tendência é que no máximo em 30 anos, católicos e evangélicos estarão empatados em tamanho na população. A mudança foi lenta entre 1872 e 1970, com perda de 7,9% de participação. Já nos últimos 20 anos, houve aceleração, quando a retração atingiu os 22%.

Então, se você acha que sua vida está ruim, cheia de problemas e sem solução, não deixe de terminar a leitura desta Reportagem Especial, até porque, não é sempre que veículos de comunicação apresentam fatos reais e polêmicos que buscam desvendar mistérios e mostrar a verdadeira face de quem, simplesmente, busca na Trindade Santa, a verdadeira alegria de vida.

Por João Renato Jácome

No Natal, Ministério da Família leva projeto Coração de Irmão ao bairro do Caladinho

A essência natalina tomou conta da igreja Ministério da Família, que aproveitou o Natal para distribuir roupas, brinquedos e sacolões a mais de 100 famílias do bairro Caladinho, na periferia de Rio Branco.

O líder do Ministério da Família, pastor Marcelo Torres, disse que a igreja tem criado vínculo com a comunidade. As pessoas não só recebem doações como se relacionam com os membros da igreja através da amizade, essência maior da vida cristã.
“Este ano fizemos algo diferente, entregamos um sacolão para cada voluntário do projeto coração de irmão e o mesmo entrava em uma casa, fazia a entrega, tomava um café na casa, conversava com a família e orava por eles. Foi um trabalho de corpo a corpo. De conhecer as pessoas pelo nome, ver suas necessidades e orientá-los melhor. Criamos um ambiente amigável e familiar. Você ir na casa da pessoa é você se tornar igual, sair do patamar de “superior”, e se nivelar, se igualar. Ninguém é melhor nem maior que ninguém”, diz o pastor.

Não é a primeira vez que o Ministério da Família realiza ações de filantropia no Caladinho. Através do projeto Coração de Irmão, os cristãos já doaram roupas, brinquedos e móveis a várias famílias do bairro, em ações que incluem também a pregação das Escrituras Sagradas.

Fonte da informação Ac24Horas

Carta de criança com câncer endereçada aos Correios emociona o Acre

Em carta endereçada ao Papai Noel através da Campanha dos Correios, um garoto de 10 anos, abre o texto dizendo que está doente com câncer e que o pai – que é pedreiro – está desempregado e a mãe cuida dele em casa, por isso, “não trabalha fora”, escreveu, à mão, com caneta azul e destaques em vermelho.

O normal, mesmo em uma situação como essa seria que o pequeno Lucas dos Santos Lima, pedisse um presente, por mais simples que fosse, um carro, um vídeo game, enfim, sonhos de qualquer criança.

Foi ai que Lucas emocionou toda equipe que coordena a Campanha dos Correios e, posteriormente, o Acre inteiro. Ele segue contando que já está em casa, mas passando necessidades.

“Mesmo doente quero continuar estudando, enquanto aguentar ir para a escola. Gostaria que o senhor [Papai Noel] nos ajudasse com uma cesta básica e o meu material escolar”, acrescentou Lucas.

A carta foi adotada por interessados que procuraram a sede dos Correios para conhecer essa e milhares de outras histórias. Ao todo foram 2 mil cartinhas, sendo quase 1 mil das escolas em áreas de risco social selecionadas para participar da campanha que completou 25 anos em todo o Brasil.

Quando recebeu seu presente no final da tarde desta quarta-feira (24), Lucas ajudou a encerrar mais uma campanha em que profissionais carteiros, tiram seu uniforme amarelo e se vestem de Papai Noel, vendo que, o sentimento de solidariedade vai além das necessidades. E foi assim que o Correios no Acre entregou 90% dos presentes nas escolas e durante toda a véspera de natal, buscou pelos endereços mais difíceis para não deixar nenhum baixinho frustado.

No último domingo, o Brasil assistiu a outra comoção, quando Pedro, um menino de 10 anos, pediu para qualquer um da família do Papai Noel doar sangue, matéria exibida no Fantástico, na Rede Globo. A exemplo de Lucas, Pedro teve câncer, mas de outro tipo, leucemia.

“O pedido de Lucas foi atendido na véspera do Natal no período da tarde, porque ele faz quimioterapia pela manhã. Nesses 3 anos eu que coordeno a campanha sempre me deparo com pedidos mais emocionantes, com crianças que passam necessidades extremas, e ver o sorriso estampado no rosto delas ao receberem seus pedidos/presentes é a melhor recompensa para todo o trabalho que temos com a campanha,” disse Tatyane.

A pedido da familia a criança não foi fotografada. As fotos que ilustram a reportagem são de outras crianças que foram contempladas em suas cartinhas.


Ac24Horas

Vídeo de ladrões sendo atingidos por raio após assaltar igreja é falso, afirma site


No início dessa semana a notícia de que o carro usado por uma quadrilha de assaltantes durante a fuga após assaltar uma igreja teria sido atingido por um raio ganhou destaque no mundo inteiro. 

De acordo com o vídeo que circulou junto à notícia inicial, a câmera de segurança da viatura que perseguia os criminosos filmou o carro sendo destruído pela descarga elétrica.

Diversos sites de notícias internacionais destacaram que os ladrões foram “punidos por Deus imediatamente” após assaltar uma igreja em São Petersburgo, na Rússia. A notícia foi divulgada também no Brasil, em sites como UOL, Folha de S.Paulo e pelo Gospel+.

Porém, o site brasileiro E-farsas publicou uma matéria afirmando que o vídeo é falso, e que na verdade se trata de uma montagem feita em um vídeo de um acidente ocorrido em fevereiro de 2013.

O E-farsas afirma que no vídeo que mostra o carro sendo destruído pelo raio há um corte evidente nas cenas antes e depois do clarão. O site publicou também o vídeo que afirma ser do acidente original; trata-se de uma colisão frontal, que resultou na explosão de um dos carros. 

Eles afirmam ainda que não há nenhuma notícia nos jornais locais de St Petersburgo a respeito de alguma igreja roubada recentemente, além das veiculadas junto ao vídeo da explosão do carro.

– O vídeo foi publicado no YouTube pela primeira vez no canal do usuário chamado World News TV e foi o único filme postado lá! Alguns dias após a postagem, o YouTube removeu o filme sob a alegação de o usuário ter violado as políticas do site – destacou ainda o E-farsas.

Carro explodindo após colisão frontal: 


Gospel+

Jesus não nasceu em um estábulo, mas no conforto de uma casa de família, diz padre que defende que o texto bíblico do original grego foi mal traduzido.

Crianças de todo o mundo têm participado de peças natalinas em suas escolas no período que antecede a festa do Natal. Mas elas podem ter que se livrar dos burros de papelão chão coberto de palha nas próximas peças natalinas se as reivindicações do teólogo forem verdadeiras.

O Reverendo Ian Paul, insiste que Jesus Cristo não nasceu em um estábulo, mas em um quarto de uma casa de família em Belém da Judeia.
Ele diz que o equívoco vem de má tradução do texto original grego, o que fez soar como se o nascimento ocorreu em meio a animais de exploração agrícola em um celeiro. 
Segundo O Reverendo Ian Paul, a palavra grega 'kataluma', foi erroneamente traduzida como "pousada" onde na verdade, segundo ele, a palavra significa 'sala privada "ou" hospedagem". 

Na interpretação do Rev. Paul, José, retornando a Belém, teria sido recebido por parentes distantes na casa e colocado à sala principal daquela casa. 

"Isso significa que muitos, como José e Maria, viajaram para Belém, e o quarto de hóspedes da família já estava cheio, provavelmente com outros parentes que chegaram mais cedo que José e Maria. 

Lucas 2: 4-8 Assim, José também subiu da cidade de Nazaré, na Galiléia para a Judéia, para Belém, a cidade de David, porque ele pertencia à casa da linhagem de Davi. Ele foi lá para registrar-se com Maria, que estava prometida em casamento e ela estava esperando um filho. 

Enquanto estavam ali, chegou o momento do bebê nascer, e ela deu à luz seu primogênito, um filho. Ela envolveu-o em panos e colocou-o numa manjedoura, porque não havia quarto disponível para eles. 

'Então, O Rev. Paul acredita e defende que José e Maria deva ter ficado com a própria família, em uma sala principal da casa, já que os quartos daquela casa estavam ocupados. 

Para uma maior compreensão o Rev. Paul explica que o modelo das casas da época indicava que os animais eram alimentados em arranjos do tipo manjedoura na borda da sala da família. Dentro dessa visão Ele acrescenta: "O lugar mais natural para colocar o bebê era nas dependências dessa sala onde os animais eram alimentados. 

"A ideia de que eles estavam em um estábulo, longe dos outros, sozinho e proscrito, é gramaticalmente e culturalmente implausível. Na verdade, era MUITO difícil para José e Maria e o menino Jesus terem ficado sozinhos diante tais contextos." 

Ele acrescentou: "Na história do Natal, Jesus não é triste e solitário, distante em um estábulo, precisando de nossa simpatia. "Ele [JESUS] estava no meio da família, e todas as pessoas que chegassem ali naquela casa viam o menino, bem no meio dela e exigindo total atenção. A visão deste contexto deve mudar radicalmente a nossa abordagem e pregação sobre o nascimento de Jesus.

Ler mais em DailyMail

Natal: nasceu Jesus o Salvador, Cristo e Senhor

As Escrituras registram que o nascimento de Jesus foi anunciado por um anjo aos pastores no campo como sendo uma “boa nova de grande alegria” (Lc 2.10).

O anjo mensageiro da boa nova não é identificado no texto lucano. Porém pelo contexto infere-se que seja Gabriel. Ele fora o portador de importantes anúncios anteriores.

Ao sacerdote Zacarias, junto ao altar do incenso no Templo, Gabriel anunciara o nascimento de João Batista (Lc 1.11,19).

À Maria, em Nazaré na Galiléia, Gabriel avisou que a Virgem daria à luz um filho ao qual deveria por o nome de Jesus. (Lc 1.26, 31).

O anjo também visitou a José. O noivo de Maria planejou deixá-la secretamente (Mt 1.19). Para impedir a execução desta ideia o anjo (Gabriel ?) apareceu a José em sonhos (Mt 1.20). O anjo explicou-lhe o plano divino e ratificou que o nome do menino seria Jesus (Mt 1.20,21).

O nome do menino indicava a importância de seu nascimento. O nome hebraico é “Yehoshua” cuja transliteração para o grego é “Iesous” e em português “Jesus” que significa “Salvador”. As palavras do anjo a José foram literalmente: “Ele salvará o seu povo dos seus pecados” (Mt 1.21b).

Após estes eventos, Gabriel anuncia aos pastores o nascimento do menino Jesus (Lc 2.10,11). Nesta ocasião a mensagem é testemunhada por uma milícia celestial que entoa: “Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens” (Lc 2.14).

O coro angelical exultava de alegria pelo cumprimento das profecias messiânicas: “Na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.11).

Na mensagem o anjo anuncia a tríade de títulos do menino que acabara de nascer em Belém: “Salvador”, “Cristo” e “Senhor”. Tais referências são objeto de nossa reflexão.

1. Salvador: Lucas se refere a Jesus como Salvador em seu Evangelho e também em Atos dos Apóstolos (Lc. 2.11, At 5.31, 13.23). O Evangelista João também menciona Jesus como Salvador (Jo 4.42). As outras referências a Jesus como Salvador ocorrem nas Epístolas Paulinas e nas Epístolas Gerais (Ef 5.23; Fp 3.20; 1Tm 1.1, 2.3, 4.10; 2Tm 1.10; Tt 1.3,4; 2.10,13; 3.4,6; 2Pe 1.1,11; 2.20; 3.2,18; 1Jo 4.14; Jd 1.25).

2. Cristo: A expressão “Cristo” é tradução grega de “Christós” que tem origem na palavra hebraica “Mashiah” que foi transliterada para o português como “Messias”. Ambos os termos querem dizer “Ungido”. Este termo é um título messiânico. Indica o enviado de Deus para ser o Libertador de seu povo. No Novo Testamento este título aparece nada menos de quinhentas e sessenta e nove vezes.

3. Senhor: Em Lucas esse é o principal e o mais comum título de Jesus. O termo é derivado da palavra grega “Kyrios” que é utilizada tanto para Deus como para Jesus. Na anunciação do anjo o título deve ser entendido como a encarnação do verbo, isto é, Deus se fez carne (Jo 1.14). Esta doutrina também é enfatizada por Paulo na confissão “Jesus é o Senhor” (1Co 12.3; Rm 10.9).

Diante do exposto, temos o verdadeiro significado do Natal: o nascimento de Jesus. Exultemos pois tal qual o coro angelical. Celebremos o nascimento de Jesus Cristo nosso Salvador e Senhor!

Feliz e Abençoado Natal!

Douglas Roberto de Almeida Baptista
Articulista do CPADNews
Fonte: CPADNews

Um intruso na maior festa de aniversário do mundo

Imagine no dia de seu aniversário, alguém que nunca existiu tomar teu lugar? Triste não?
Pois bem, é exatamente isto que acontece nos dias de hoje o tal velhinho que todos conhecem como Noel, tem sido o protagonista principal de uma festa que nunca lhe pertenceu.  Cada vez mais o aniversariante JESUS tem sido deixado de lado, nem mesmo no dia que comemoramos o seu nascimento, não recebe as honras que deveria.

Outro dia entrei em um “Shopping bem famoso na Zona Norte do Rio”, e me deparei com um presépio que a administração daquele Shopping chamava de natalino. Na verdade aquele presépio todo enfeitado de luzes coloridas e neve não tinha nada a ver com o aniversário nem tão pouco com o aniversariante que mudou a história de nossa humanidade.

Uma determinada marca de refrigerante de cola era a principal patrocinadora disso que a mídia chama de “natal”. Encontrei de tudo neste presépio, tinha: Renas, Vacas, fogão a lenha, anões e outras bugigangas a mais. 

Me dirigi a moça que era como um tipo de guia turístico e perguntei pra ela: O que representa tudo isso? Ela espantada olhou pra mim e respondeu: Natal! Bam!  Eu mais uma vez retruquei: Como Natal? Cadê JESUS? Cadê pelo menos os Magos? Cadê Maria, o jumentinho onde foi parar José?

Ela respondeu: Senhor! A empresa patrocinadora deste grande evento não permite nem uma manifestação de crença, ou fé ou religião, pois são muitos turistas que vem assistir nossa apresentação que não são da FÉ cristã.  Eu como cristão e com cara de espanto respondi:
       Não querendo ser chato, mas já sendo, a senhora não acha uma injustiça ou mesmo uma hipocrisia dizer que isso é Natal? Pois não podemos se quer citar o nome do aniversariante ou ver, ou ler algo sobre seu nascimento?
       Ela então respondeu bem baixinho... É senhor entendo, estou trabalhando e sou paga pra isto, mas eu gostaria de manifestar também minha indignação. Sou cristã e não posso aqui falar de JESUS.
Meus queridos amigos e irmãos, em Cristo não me conformo com toda essa festa que a chamam de “NATAL” mas vemos apenas puro meio oportunista comercial.

Natal é nascimento, Natal é alegria, Natal é Boas Novas, Natal é Salvação, Natal é Luz, pois quando JESUS nasceu aqueles que estavam na escuridão viu de fato a verdadeira LUZ:  JESUS. 

Para alguns seguimentos ou “denominações” cristã protestante, é até preferível ficar de fora dessa comemoração do dia 25 de Dezembro, por dois motivos: 1º Por não ter sido em Dezembro o nascimento de JESUS. 2º Porque esta festa comemorada não é uma festa cristã e sim pagã. 

Em certo ponto, concordo que JESUS não nasceu em 25 de Dezembro, também que essa manifestação está deturpada, mesclada de paganismo.  Mas como cristão maduro e sensato vejo uma grande oportunidade de evangelismo, vejo que podemos também manifestar diante de todos, já que o mundo se volta a esta data, de demonstrarmos gratidão para com o nosso DEUS por ter enviado seu único filho a este mundo. João 3:15.

Não vejo problema algum comemorar o nascimento de nosso Salvador, contanto que use esse momento de tanta generosidade de alguns para explicar de fato o verdadeiro sentido do NATAL. Nunca foi nem será pecado separarmos um dia, seja 25 de Dezembro ou outra data que de fato fosse o aniversário de alguém que veio ao mundo para nos resgatar das trevas para sua maravilhosa LUZ.

Lembre-se sempre, NATAL SEMPRE DE JESUS. Ele é o centro de tudo, toda honra, toda GLÓRIA seja tributada ao Senhor, o nosso Messias, o enviado de DEUS.

GLÓRIAS A DEUS NAS ALTURAS, PAZ NA TERRA AOS HOMENS DE BOA VONTADE.

Que o Senhor JESUS, nasça todos os dias em nossas vidas, FELIZ RENASCIMENTO.


Pb. Josiel Dias

NÃO HAVIA LUGAR PARA JESUS

Quando José e Maria saíram de Nazaré para Belém, por decreto de Tibério César, eles não encontraram lugar na estalagem, por isso, foram para uma manjedoura, onde Jesus nasceu. Não havia lugar para Jesus na concorrida cidade de Davi. 

Os espaços já haviam sido todos disputados e assim, o Cordeiro de Deus, nasceu num estábulo e não num berço de ouro. O criador do universo, o dono do mundo, foi rejeitado no seu nascimento e em sua morte. Ele foi desprezado e dele não fizeram caso.

Os anos se passaram e os homens continuam afobados, correndo de um lado para o outro, cuidando de muitas coisas e não se apercebem que também não têm lugar para Jesus. Suas estalagens estão abarrotadas, seus corações ocupados com muitos cuidados e por essa causa não dão lugar para Jesus.

Muitas pessoas ocupam hoje o lugar de Jesus na vida das pessoas: no mês de dezembro, quando se comemora o Natal, o bojudo Papai Noel torna-se o astro principal do Natal. O velho de barbas brancas, arquejado por um imenso saco de presentes nas costas, tornou-se um garoto propaganda, distorcendo a mensagem central do Natal. O comércio febril, o consumismo insaciável e o multicolorido das praças tolda o verdadeiro sentido do nascimento de Cristo.

Muitas coisas, outrossim, ocupam o lugar de Cristo. Vivemos numa sociedade secularizada. O homem pós-moderno empurrou Deus para os templos religiosos e pensa que ele não interfere nas demais áreas da vida. Assim, as pessoas tornam-se religiosas, até mesmo, se dizem evangélicas, mas não se colocam debaixo do senhorio de Cristo. Vivem segundo os valores de uma sociedade decadente e não segundo os absolutos da Palavra de Deus.

Não havia lugar para Jesus em Belém e não há lugar para Jesus nos corações hoje. Muitas vezes, o espaço que se abre é para o Jesus domesticado pelas conveniências humanas e pelos desvios doutrinários e não para o Jesus das Escrituras. Muitos segmentos religiosos pregam não o Jesus da Bíblia, mas o Jesus guru, o Jesus mestre iluminado, o Jesus milagreiro.

Precisamos resgatar a mensagem que os anjos anunciaram em Belém: “Eis que vos trago boa nova de grande alegria e que será para todo o povo: é que hoje vos nasceu na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.7).

Segundo Lucas 2.7, o nascimento de Jesus enfatiza três verdades fundamentais: Primeiro, Jesus é o Salvador do mundo. Não há outro caminho para Deus, outra porta para o céu, outro mediador entre Deus e os homens além de Jesus. Ele veio para salvar o seu povo. Ele veio para nos reconciliar com Deus.

Ele veio para remir-nos dos nossos pecados. Não há mensagem de Natal sem a proclamação da salvação no nome de Jesus. Segundo, Jesus é o Messias prometido. Ele nos foi dado desde a eternidade. Dele falaram os patriarcas e profetas. Para ele apontaram as profecias. Ele é a consumação da esperança do povo de Deus. Ele é o enviado de Deus, o ungido, o profeta, o sacerdote e o rei, aquele que veio buscar e salvar o perdido. Terceiro, Jesus é o Senhor. 

Diante dele todo o joelho se dobra no céu, na terra e debaixo da terra. Ele governa o universo, dirige as nações e reina sobre o seu povo. Ele tem toda autoridade no céu e na terra. Ele está assentado no trono e tem o livro da história em suas mãos. Dele, por meio dele e para ele são todas as coisas.

Há lugar na sua vida para o Jesus do Natal? Seu coração é dele? Ele é o amado da sua alma? Você já se refugiou nele e o recebeu como o seu salvador? Natal é mais do que troca de presentes e mesa farta. Natal é Jesus.

Rev. Hernandes Dias Lopes

Conto de Natal, O Aldeão – Tolstoi

Um aldeão russo, muito devoto, constantemente pedia nas suas orações que Jesus viesse visitá-lo na sua humilde choupana.

Na véspera do Natal sonhou que o Senhor iria aparecer-lhe, teve tanta certeza da visita que, mal acordou, levantou-se e começou a pôr a casa em ordem para receber o hóspede tão esperado.

Uma violenta tempestade de granizo e neve acontecia lá fora.

E o aldeão continuava com os afazeres domésticos, cuidando também da sopa de repolho, que era o seu prato predilecto.

De vez em quando observava a estrada, sempre à espera…

Decorrido algum tempo, viu que alguém se aproximava caminhando com dificuldade no meio da neve. Era um pobre vendedor que levava às costas um fardo bastante pesado.

Compadecido, saiu de casa e foi ao encontro dele. Levou-o para a choupana, pôs-lhe a roupa a secar na lareira e repartiu com ele a sopa de repolho. Só o deixou ir embora depois de ver que já tinha forças para continuar a jornada.

Olhando de novo através da vidraça, avistou uma mulher na estrada coberta de neve. Foi buscá-la, e abrigou-a na choupana. Fez com que se sentasse à lareira, deu-lhe de comer, embrulhou-a na sua própria capa… Não a deixou partir enquanto não readquiriu forças suficientes para a caminhada.

A noite começava a cair… E nada de Jesus!

Já quase sem esperanças, o aldeão foi novamente à janela e viu a estrada coberta de neve. Distinguiu uma criança e percebeu que se encontrava perdida e quase congelada pelo frio… Saiu, pegou na criança e levou-a para a cabana. Deu-lhe de comer, e não demorou muito para que a visse adormecida ao calor da lareira.

Cansado e desolado, o aldeão sentou-se e acabou por adormecer junto ao fogo. De repente, uma luz radiosa, que não vinha da lareira, iluminou tudo! Diante do pobre aldeão, surgiu risonho o Senhor, envolto numa túnica branca!

– Ah! Senhor! Esperei por Ti, o dia todo, e não apareceste…

E Jesus respondeu-lhe:

– “Já por três vezes, hoje, visitei a tua choupana: O vendedor ambulante que socorreste, aqueceste e deste de comer… Era Eu! A pobre mulher, a quem deste a capa… Era Eu! A criança que salvaste da tempestade, também era Eu…” “O Bem que a cada um fizeste, a mim mesmo o fizeste!”.

Leon Tolstoi

Teólogos chamam ´Êxodo: Deuses e Reis´ de antibíblico

Com um custo estimado de 140 milhões de dólares, o filme "Êxodo: Deuses e Reis"arrecadou apenas 24 milhões em sua primeira semana de exibição. 

Segundo especialistas, será preciso uma performance surpreendente no restante do mundo para não ser mais uma adaptação bíblica fracassada. A exemplo do que aconteceu com “Noé”, que foi massacrado pela crítica e rendeu bem menos do que o esperado, “Êxodo” foi muito criticado por não fazer uma leitura cinematográfica fiel do texto bíblico.


O maior termo de comparação é “Os 10 Mandamentos” (1956), um dos filmes mais conhecidos de todos os tempos. Embora quase 50 anos atrás a adaptação tenha usado elementos não bíblicos, o essencial da narrativa estava presente.

Porém, o diretor Ridley Scott conseguiu atrair a fúria de ativistas americanos que classificaram o filme como “racista” e pediram boicote. Teólogos cristãos e judeus também recomendaram que os fiéis não vejam o longa.

Os problemas começaram quando se divulgou ano passado quem viveria os personagens principais. Todos são artistas brancos, o que seria pouco provável numa narrativa passada no Egito, um país africano. Mais do que isso, os negros que aparecem no filme são retratados como um ladrão, um assassino, um serviçal do faraó ou um cidadão egípcio de classe baixa.

Ridley Scott chegou a comentar o assunto em entrevistas, atribuindo suas escolhas a pesquisas de marketing. De fato, é sabido que faces conhecidas e atores de renome facilitam a aceitação por parte do público. Christian Bale, que interpreta Moisés, também não ajudou muito o departamento de marketing ao declarar que via seu personagem como um “terrorista” e fez críticas aos judeus em geral.

“Por mais que eu ame um bom filme bíblico, vou boicotar este”, escreveu Segal Samuel no site Jewish Daily Forward. “E convido meus companheiros judeus para que se juntem a mim”.

Um dos aspectos que mais chateou os teólogos que já viram o filme –cuja estreia no Brasil será nesta quinta-feira, 25 de dezembro – é o fato de Deus ser representado como uma “criança voluntariosa”. O ator britânico Isaac Andrews, de 11 anos de idade, oferece sua voz e rosto para a ideia do Todo-Poderoso que se comunica com Moisés. Ele substitui a sarça ardente onde o Senhor falou com Moises no deserto.

“Para qualquer pessoa que tenha alguma relação com Deus e as Sagradas Escrituras, seria difícil aprovar o que foi feito”, disse Chris Stone.

Gary A. Rendsburg, professor de estudos judaicos na Universidade Rutgers, lembra que Deus ser visto faria com que o humano caísse morto, segundo o capítulo 33 do livro do Êxodo.

Ao Hollywood Reporter, o diretor Scott disse apenas que se norteou “pelos seus instintos” quando decidiu representar a Deus como menino para “evitar os clichês”.

Também não ajudam as declarações de Christian Bale, que chamou o Deus do Velho Testamento de “volátil” e Moisés de “esquizofrênico” por acreditar que falava com Deus. Diversos sites cristãos deram espaço para as declarações, gerando controvérsia.

Ken Ham, influente escritor e apologeta, criticou o filme, dizendo que o enredo “diminui” a Deus, tirando sua glória ao apresentar explicações científicas para todos os milagres que ocorreram para a libertação do seu povo do Egito.

Uma das poucas vozes dissonantes é a do reverendo Floyd Flake, da catedral Greater Allen A.M.E., de Nova York, o qual acredita que muitos cristãos farão uma ligação de um “Deus menino” com os relatos sobre o nascimento de Cristo, no Novo Testamento.

Em parte, a estratégia do estúdio Fox e a da produtora Chernin Entertainment não é promover a produção como um relato religioso, mas enfatizar que se trata de um filme de ação. 

O site Faith Driven Consumer, especializado em entretenimento cristão deu a Êxodo 2.5 estrelas na cotação que vai até 5, alegando que assim como “Noé”, este filme pode enganar que procura por “relevância bíblica”. 


CpadNews

O menino Jesus e os adultos em volta

O limite do que esta sociedade pode crer, de uma maneira geral, é o do menino Jesus e o do bom velhinho.
Naqueles dias em que a gente anda decepcionado por causa do marasmo da igreja de um modo geral, voltava para casa de ônibus, quando passamos pela Avenida Paulista, onde saboreei a rua toda enfeitada do natal, e por toda ela, famílias e gente de todo tipo aglomerada como expectadores dos mais diversos corais natalinos, e entre papai Noel e estrelinhas, ouvimos algumas canções do menino Jesus.

O natal é uma prova contundente de que não basta pregar o evangelho. O natal é um prova contundente de que não basta conhecer a história da salvação, a boa notícia do Evangelho. Neste natal e em muitos outros atrás, o evangelho tem sido pregado em volta do mundo, mas o que vemos é uma parede cheia de buracos, de pregos removidos já em janeiro. Neste mês o evangelho será pregado em todo o país, mas em fevereiro este país cairá na festa da Carne, o Carnaval.

Mas o fato é que esta sociedade crê é no menino Jesus, e não no pai da Eternidade, ela crê naquele menino indefeso, bonitinho, que nos faz amar a nossa família, esquecer de nossos problemas morais, aquele menino que quando ouvimos canções sobre ele dizemos que é uma gracinha.

O limite do que esta sociedade pode crer, de uma maneira geral, é o do menino Jesus e o do bom velhinho. Desconhecem o Príncipe da Paz; não teriam coragem de encará-lo nos olhos se soubessem que este bebê é aquele que veio para julgar o mundo. 

Este bebê que conhece os nossos pecados e as nossas motivações mais profundas. Esta sociedade menina não O trataria como um bebê se soubessem que este bebê carregou sobre suas costas a imundície de nossas vidas; Ele que é poderoso para descer ao Hades e perguntar com cinismo e brio: Onde está ó morte a tua vitória? 

Ele que venceu a morte e passou pela vida humana de vestes brancas; foi tocado por homens imundos, mas sem o poder de manchá-Lo; tocou em homens imundos, manchando-os com o seu sangue, que os purifica de todo o pecado.

Este é o bebê, que conhecemos sua história como cantigas de ninar, mas que tem as chaves da morte. Um dia esta sociedade infantil ouvirá um anjo poderoso perguntando: Quem é digno de romper os selos e de abrir o livro?, o livro de sua salvação? Procurarão e não encontrarão. Cairão enfim desesperados por não haver ninguém para salvá-los da ira de Deus. Então se verá o filho do homem, vindo sobre as nuvens com poder e glória.

Aquele que os adultos deste mundo tratam como a um menininho, virá como o Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi, aquele que venceu.

- Não se engane, este menino sobre uma simples manjedoura: Ele é o Rei da Glória!

Por André Filipe - Missionário e pastor, formado pelo Seminário Teológico Presbiteriano Rev. José Manoel da Conceição

"Neste Natal, deixe o amor de Cristo entrar no seu coração e te aquecer", diz Saeed Abedini em carta

Preso no Irã, o pastor americano escreveu carta aberta a respeito do Natal
Desde setembro de 2012, o pastor americano Saeed Abedini está preso na Rajai Shahr, umadas prisões mais crueis do Irã.

Em época de festas natalinas, o pastor escreveu uma carta aberta. "Este é o primeiro Natal que eu passo completamente sem a minha família; toda a minha família está atualmente fora do país. Essas condições fizeram esta época próxima do Natal muito dura, fria e triste para mim", lamenta Abedini.

Confira a carta completa:

Feliz Natal! Estes dias estão muito frios aqui. Meu pequeno espaço ao lado da janela de vidro tem transformado minhas noites insuportáveis para dormir. O tratamento por parte dos companheiros de prisão também é bastante frio e às vezes hostil. Alguns dos meus colegas prisioneiros não gostam de mim porque eu sou um convertido e um pastor. 

Eles olham para mim com vergonha como alguém que traiu sua ex-religião. Os guardas não queriam a cruz de papel que eu fiz e colei na parede no meu lado da cela, como um sinal de minha fé e na expectativa de comemorar o nascimento de meu Salvador. 

Eles me ameaçaram e me forçaram a removê-la. Este é o primeiro Natal que eu passo completamente sem a minha família; toda a minha família está atualmente fora do país. Essas condições fizeram esta época próxima do Natal muito dura, fria e triste para mim. Parece que eu estou sozinho, sem ninguém ao meu lado.

Essas condições me fazem perguntar por que Deus escolheu o momento mais difícil do ano para se tornar carne e por que Ele veio à Terra na mais fraca condição humana (como um bebê). Por que Deus escolheu o lugar mais difícil para nascer no inverno? 

Por que Deus escolheu para nascer em uma manjedoura em um estábulo, que é muito frio, sujo e insalubre, com cheiro desagradável? Por que o seu nascimento teve que ser não só foi difícil fisicamente, mas também socialmente? Deve ter trazido tanta vergonha para Maria e seu noivo que estava grávida antes do casamento na sociedade religiosa da época.

Queridos irmãos e irmãs, o fato do Evangelho é que ele não é apenas a história de Jesus, mas é a chave de como devemos viver e servir como Jesus. Hoje nós que o seguimos devemos sair da nossa zona de conforto e segurança, a fim de proclamar a Palavra de vida e salvação através da fé em Jesus Cristo e da pena do pecado que Ele pagou na cruz e proclamar a Sua ressurreição. 

Devemos ser capazes de tolerar o frio, as dificuldades e a vergonha, a fim de servir a Deus. Devemos ser capazes de entrar na dor do frio do mundo de trevas. Temos de ser capazes de oferecer o amor ardente de Cristo àqueles que estão espiritualmente mortos. Pode ser necessário até sair do conforto de nossas vidas e deixar o abraço amoroso de nossa família para entrar na manjedoura fria e insalubre da vida dos outros, tal como tem sido para mim pelo terceiro Natal consecutivo. 

Pode ser que sejamos chamados tolos e traidores e que enfrentemos muitas dificuldades, mas devemos crucificar nossa vontade e desejo ainda mais até que o mundo ouça e sinta o verdadeiro significado do Natal. 

Natal significa que Deus veio ao mundo para entrar em vosso coração e transformar nossas vidas, substituindo dor em uma alegria indescritível.

O Natal é a manifestação do brilho radiante da Glória de Deus no nascimento de uma criança chamada Emanuel, que significa Deus conosco.

Portanto, neste Natal, deixe o amor de Cristo entrar no fundo do seu coração e te aquecer, e deixá-lo pronto para pagar qualquer preço, a fim de trazer o mesmo amor para o mundo frio à sua volta, transformando-o com a verdadeira mensagem do Natal.

Pastor Saeed Abedini”

Fonte Guiame


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tags

(766) Cristãos Perseguidos (519) Cristãos (515) Bíblia (484) Intolerância Religiosa (362) Israel (333) Evangélicos (302) igreja (263) Reflexão (247) apocalipse (192) oração (181) Homosexualismo (177) catolicismo (151) Rede Record (146) homofobia (146) Irã (138) escatologia (132) Missões (131) Evento Gospel (128) Silas Malafaia (124) pecado (119) Política (112) islan (110) ateus (109) Religião (105) judeus (105) Milagres (103) Natal (102) Aborto (101) Ahmadinejad (91) esporte (91) Criança (90) Testemunho (85) globo (77) guerra (72) Salvação (69) Perdão (67) Morte (64) pastores (64) Aline Barros (59) Religiosidade (56) Yousef Nadarkhani (56) PL122 (55) Amor (53) adoração (48) heresia (47) Drogas (41) Prosperidade (41) festival promessas (41) Judaísmo (39) Thalles Roberto (39) campina grande (39) Apostasia (37) carnaval (36) Idolatria (34) mulçumanos (34) Estados Unidos (33) Família (33) Maconha (31) adoradores (29) Shows (28) Catástrofes (26) Hipocrisia (25) esperança (22) Confiança (19) Mentira (19) Alegria (18) Nasa (18) Páscoa (17) DIP (16) Oriente Médio (16) Rei David (16) adversidade (16) consciência cristã (16) BAND (15) Conforto (15) Paz (15) Pena de Morte (15) Pornografia (15) Promessa (15) Sofrimento (14) Suicídio (14) BBB (12) Graça (12) Tatuagem (12) obediência (12) benção (11) dia das mães (11) impureza (11) Ansiedade (10) Rio +20 (10) livro (10) masturbação (10) Catástrofe (9) Desobediência (9) Filho pródigo (9) Justin Bieber (9) Perlla (9) Jotta A (8) Pedro Leonardo (8) Whitiney Houston (8) filho de crente (8) sony music (8) Darwin (7) Eutanásia (7) Hackers (7) Perigo (7) Senadores (7) União (7) livre arbítrio (7) presença de Deus (7) Perfeição (6) cura pela palavra (6) alienígenas (5) lei da palmada (5) Aline Barros mostra sua filha (4) Cegueira Espiritual (4) Kaka (4) Purgatório (4) escolhas (4) texto e contexto (4) torá (4) vasco (4) Gratidão (3) Ressentimento (3) Segurança (3) Semeadura (3) Sodomia (3) o Caminho (3) servos (3) vigilância (3) Cristo Redentor 80º aniversário (2) Guinnes Wolrd Records (2) Harold Camping (2) Impossiveis (2) Pressa (2) Sonho de infância (2) mundial da juventude (2) Flórida (1) Galardão (1) Michel Teló (1) Redenção (1) impios (1) recall (1) vingadores (1)

Uma Reflexão sobre a Crise no Brasil